Cannes 2013: espetáculo cinematográfico na Riviera Francesa

 

A Riviera Francesa, entre os dias 16 a 26 de maio, ganhou outro brilho com a 66.ª edição do Festival de Cannes. A mostra, que encerrou no domingo, 26, apresentou ao público um espetáculo cinematográfico. Porém, alguns filmes se sobressaíram e são premiados, mas isso não quer dizer que os outros não tiveram seu reconhecimento.

A “La Vie d'Adèle” do franco-tunisiano Abdellatif Kechiche, conquistou o cobiçado prêmio do Festival, a Palma de Ouro. O filme provocou grande polêmica devido as cenas fortes de sexo e  ainda levantou a questão do relacionamento entre homossexuais. Veja mais detalhes sobre o filme aqui.

 la-vie-d-adele-chapitre-1-et-2-_469168_3317

Mas “La Vie d'Adèle” não foi o único a chamar atenção com o teor homossexual no Cannes. O diretor Steven Soderbergh, vencedor da Palma de Ouro com “Sexo, Mentiras e Videotape” (1989), volta ao Cannes com o filme “Behind the Candelabra”, ao retratar o romance entre o pianista Liberace (Michael Dougla) e do jovem Scott Thorson (Matt Damon).

O Filme “Inside Llewyn Davis, dos irmãos Joel e Ethan Coen, é premiado com o troféu Grand Prix. A história é baseada na vida do cantor e compositor Dave Van Ronk (1936 – 2002) e mostra sua trajetória na cena folk dos anos 60.

inside-llewyn-davis-oscar-isaac

“Heli”, do diretor mexicano Amant Escalante, abriu a mostra competitiva e mostrou a realidade cruel do mundo do narcotráfico e corrupção no México que também gerou grande polêmica com suas fortes cenas de tortura. O filme teve uma recepção favorável e rendeu o prêmio de melhor diretor.

Premiada como melhor interpretação feminina, a atriz franco-argentina Bérenice Bejo, após ter atuado em “O Artista”, volta ao cinema na pele de Anna-Marie, mulher que procura se divorciar de iraniano no filme “Le Passé”, de Asghar Farhadi. Enquanto o ator veterano Bruce Dern, de “Nebraska” (Alexander Payne) é nomeado como melhor ator.

Outro filme que sai prestigiado do Festival do Cannes 2013 é o “Like Father, Like Son”, do diretor japonês Hirokazu Kore-eda, premiado pelo júri. Um filme delicado que aborda sobre a paternidade e a filiação.

Confira abaixo os outros premiados do Cannes 2013:

 

UN CERTAIN REGARD

Melhor filme: The Missing Picture (Rithy Panh, Camboja/França)

Prêmio do Juri: Hany Abu-Assad, Omar (Palestina)

Melhor Diretor: Alain Guiraudie, Stranger by the Lake (França)

Prêmio Futuro: Fruitvale Station (Ryan Coogler, EUA)

A Certain Talent: Elenco de La Jaula de Oro (Diego Quemada-Diaz, Máxico/Espanha)

OUTROS PRÊMIOS

Camera d’Or: Ilo ilo (Anthony Chen, Cingapura)

Directors’ Fortnight Art Cinema Award: Me Myself and Mum (Guillaume Gallienne, França)

Directors’ Fortnight Europa Cinemas Label: The Selfish Giant (Clio Barnard, Reino Unido)

Directors’ Fortnight SACD Prize: Me Myself and Mum

Grand Prix da crítica: Salvo (Fabio Grassadonia, Antonio Piazza, Itália)

Visionary Prize da crítica: Salvo

Menção honrosa da crítica: The Owners (Agustin Toscano, Ezequiel Radusky, Argentina)

Melhor roteiro pela crítica: Le Demantelement (Sebastien Pilote, Canadá)

Palme d’Or curta-metragem: Safe (Moon Byoung-gon, Coreia do Sul)

Juri Ecumênico: The Past (Asghar Farhadi, França/Itália)

PRÊMIOS FIPRESCI

Competição: Blue Is the Warmest Color (Abdellatif Kechiche, França)

Un Certain Regard: Manuscripts Don’t Burn (Mohammad Rasoulof, Irã)

Diretores: Blue Ruin (Jeremy Saulnier, EUA)

 

 

Erica Ribeiro

Erica Ribeiro

Publicitária, blogueira, produtora e cineasta. É cofundadora do EntreLinha Blog, Coletivo PAUSA e da websérie "Uma Pausa para o Café...", além de colunista do Design & Chimarrão.