David Lynch, a vida de um artista

David Lynch é, sem dúvida, um artista fascinante, multifacetado. Ao mergulhar em seu universo, seja através da pintura, música ou, principalmente, o cinema, com certeza, a admiração por ele só tende aumentar. E o documentário "David Lynch – The Art Life", dirigido pelos cineastas Jon Nguyen, Rick Barnes e Olivia Neergaard-Holm, sendo ela assinar a edição, é, com certeza, um porta de entrada para conhecer um pouco mais da mente inquieta e brilhante por trás de uma filmografia tão instigante.

Narrado em primeira pessoa pelo próprio cineasta, o documentário centra-se apenas em  Lynch, ao rememorar, traça paralelos entre momentos e experiências importantes de sua vida, partindo da infância, esmiuçando-as, e o fazer artistico, que apresenta um tom sombrio e certas marcas surrealistas. Um retrato íntimo do artista.

A narrativa linear de "David Lynch – The Art Life" segue o rítmo do narrador, respeita seus silêncios e pausas, unindo materiais como vídeos caseiros e fotografias de família, curtas ("The Alphabet", de 1968; "The Grandmother", de 1970) e pinturas assinadas pelo artista na tentativa de desvendá-lo, de alguma forma; e nós, acompanhamos atentos o mestre, imergimos levados pela hipnotizante trilha sonora de Jonatan Bengta, que lembra às belas composições de Angelo Badalamenti.

Nguyen, Barnes e Holm também trazem ao documentário referências estilísticas do cinema lynchiano, inserem, de forma sutil, elementos que muitas vezes se repetem, como nos filmes do cineasta. "Eraserhead” (1977), seu primeiro filme de longa-metragem que levou cinco anos para finalmente ser finalizado, é o único mencionado, até mesmo pela proposta filmica, embora tenha sentido falta de outras obras igualmente geniais.

Mas, de qualquer forma, o documentário nos proporciona uma reflexão dessa combinação biografia e obras, tudo está intrinsecamente ligada, indepententemente do suporte em que seja expressada. Há muitas camadas presente em seus trabalhos, principalmente na cinematográfica.

Mesmo sendo um documentário relativamente curto, por se tratar de David Lych, ainda sim é uma tentativa de se aproximar um pouco mais desse universo tão particular, enigmático, pitoresco do cineasta. Ao fim da sessão, ainda embevecida, fica aquela vontade por mais.

 

 

 

 

 

 

 

Erica Ribeiro

Erica Ribeiro

Comunicóloga, escritora, cineasta e cofundadora do EntreLinha. É cinéfila, amante das artes e da literatura.