DiaTipo São Paulo: histórias tipográficas (parte 1)

 

Nos dias 12 e 13 de dezembro, ocorreu em São Paulo mais uma edição do DiaTipo, que teve como tema principal as “histórias tipográficas”. O evento também abordou assuntos, tais como, a regulamentação da profissão de designer, o mercado para os Type designers no país, o uso racional e embasado para o uso das famílias tipográficas, entre outros assuntos.

10849901_991425867535437_8019472080279126223_n

O primeiro dia começou com a palestra daquele que pode ser considerado o mais importante designer da história do país, o Alexandre Wollner. Ao apresentar seus cases de sucesso, deu ênfase no Eucatex, case esse em que a tipografia foi base primordial em seu desenvolvimento.

Wollner pregou veemente o uso racional e embasado da tipografia, ao mostrar o quanto a tipografia certa influencia no resultado final dos projetos de Design.

O type designer e fotógrafo Tony de Marco, em sua palestra, mostrou quase todo seu extenso portfólio tipográfico. Explicou o que o levou a mudanças de pensamento ao decorrer de sua carreira em relação à comercialização de suas letras. Isso o levou a fundar a Just in Type, premiado em 2003 no Linotype International Type Design Contest com a fonte “Samba”, usada pela Nike na frase “Nascido para jogar futebol”, bordada na camisa da seleção brasileira da Copa de 2014.

Fonte Samba

Na sequência, o Gustavo Ferreira – um pesquisador fantástico no mundo da tipografia – apresentou sua pesquisa em desenvolvimento de tipos e ferramentas para designers, mostrando como e onde está o futuro da tipografia no mundo.

Stephen Coles

A primeira palestra internacional do evento foi do consultor tipográfico de Stephen Coles, que trouxe de uma maneira diferente e super simples de como cada tipo possui suas características e que sempre devemos manter elas preservadas.

O outro foco de sua apresentação foi que a estética deve ser aliada e não ponto principal. Escolher tipos apenas por sua aparência quase sempre acaba em resultados negativos ao público final.

Se há um profissional que possui experiência e conhecimento em quase todos os campos do Type design, o britânico Matthew Carter é o cara. Com mais de 50 anos de carreira, Carter trouxe ao Brasil histórias de sua vida profissional. E uma das mais interessantes foi à concepção da font Walker, usada tanto na sinalização interna e uso tradicional da universidade de Yale nos EUA. 

Confira o que rolou no segundo dia do "DiaTipo São Paulo" clicando aqui.

Lucas Placer

Lucas Placer

Designer e viciado pela profissão, estudante de arquitetura, amante dos esportes americanos, atleta de final de semana e café é meu alucinógeno da hiperatividade.

Posted Under
Sem categoria