Ferramentas vs Profissional

 

Ultimamente tenho deparado com alguns textos e falas de algumas pessoas com relação à importância do designer lidar com os milhões de softwares que temos a disposição hoje em dia.

Alguns comentários traziam, de certa forma, uma indignação quanto ao não domínio total dos softwares e que isso denegria a profissão. Em contra partida, também encontrei comentários sobre o outro lado da moeda, que traz a visão de que o designer tem que dominar o Design e que os softwares são apenas recursos, ou seja, apenas são um auxilio aos profissionais.

10578552_924463037565054_1649415271_n

Estando no meio disso tudo, a opinião que a dependência de algumas coisas acaba por diminuir a pessoa que está por trás de um bom trabalho. Quem nunca se deparou com a visão de que somos o garoto (a) do Photoshop ou nos pediram para deixar alguém mais bonito usando o mesmo?!

São essas pequenas coisas que não geram uma real visão sobre a função do profissional, se um software gera uma dependência no profissional, ele se limita apenas aos resultados que aquele pode gerar. Softwares são sim importantes, pois sem eles levaríamos muito mais tempo para executar tarefas simples. Mas eles apenas são ferramentas de ajuda, como o café que não nos deixar desmaiar de sono na segunda pela manhã.

O profissional criativo nunca deve ser menor que as ferramentas que ele usa, pois o diferencial está em como usamos nossas ideias e como levamos isso a outras proporções.

Lucas Placer

Lucas Placer

Designer e viciado pela profissão, estudante de arquitetura, amante dos esportes americanos, atleta de final de semana e café é meu alucinógeno da hiperatividade.