Grace and Frankie: Netflix dando um tapa na cara da sociedade

A temática LGBT está cada vez mais presente nos mais diversos meios. A Netflix entrou no páreo, buscando trabalhar a relação homoafetiva na terceira idade ao estrear, em maio de 2015, a série “Grace e Frankie”, criada Marta Kauffman e Howard J. Morris.

Quem um dia iria imaginar uma série com Sam Waterston, Martin Sheen (pai do Charlie Sheen), Lily Tomlin e a sensacional Jane Fonda? E ainda mais com casais gays na terceira idade? Só a nossa amiga Netflix pra fazer isso! <3

Se imagine na pele de Grace e Frankie. Seu casamento está ótimo, com aniversário de 50 anos juntos, sua vida seguindo o seu rumo normal. Até que o seu marido, um advogado de divórcios super bem sucedido, assume que está apaixonado por seu amigo/sócio e está largando de você.

Pois é! A série mostra três ângulos diferentes sobre o fim destes dois casamentos. A história principal foca no retorno à vida de solteira de Grace (Fonda) e Frankie (Tomlin). A primeira, uma empresária do ramo de cosméticos que está se aposentando, e a segunda uma professora.

Outro ângulo é através de Robert (Sheen) e Sol (Waterson), passando pelo preconceito, desafios, e iniciando uma vida em conjunto depois de anos de um casamento estável. E por fim, o ponto de vista dos filhos sobre os seus pais.

Os personagens foram trabalhados e pensados, pois cada um tem uma peculiaridade e pontos de sua personalidade que os fazem completamente diferentes, criando, assim, uma atmosfera cômica.

“Grace and Frankie” é uma boa opção de série para você acompanhar sem pensar no tempo e passar alguns minutinhos de lazer.

Felipe Espinosa

Seriador de carteirinha, tentando evitar episódios atrasados e na geladeira. Adepto do movimento Anti-Spoilers! Só aproveite e conheça mais sobre o mundo das séries, vai ser legen... wait for it... dary!