O fim dos anos 80 na publicidade

 

O fim dos anos 80 está próximo!

As pessoas nascidas na década de 70 tiveram, nos últimos anos, uma época de reconhecimento dos seus gostos. Suas coisas “velhas” passaram a ser valorizadas. Essas pessoas que viveram o início da sua juventude nos anos oitenta conseguem ouvir ainda com alguma frequência suas músicas no rádio. Comerciais de TV ainda usam astros de sucesso com mais de 50 anos, que lhe são bem familiares.

Sempre que se fala em criatividade lembramos dos anos oitenta. Pode ser a chamada geração X. Talvez por causa da guerra fria, essas pessoas são muitas vezes rotuladas como sem identidade, não têm tanto os “pés no chão”. Faz sentido. A mídia não deixava dúvidas sobre a iminência de uma terceira guerra mundial e o consequente fim do mundo, claro, como muito sofrimento antes.

Mas porque Matthew Broderick estrelou um caríssimo comercial no Super Bowl americano em 2012? Ele está bonitão com quase 50 anos? E o lançamento da Mitsubishi que utilizou no comercial de um carro o cenário e atores do filme "De Volta para o Futuro", de 1985? Alguns deles até mesmo com dificuldades de filmar por causa da idade.

ann_broderick_ad_120130_wg

Os comerciais durante o super bowl são os mais valorizados nos EUA

E a música? Será que Voyage Voyage, do Desireless, é uma boa música mesmo? Ouça a música e reveja o clip. Você vai se decepcionar e não vai ter coragem de apresentar isso ao seu filho como “música boa de verdade”.

Escrevo agora porque estamos perto do fim dos anos oitenta. Fim mesmo. Nossas referências que eram respeitadas até agora entrarão em um baú com muitos outros. No baú que se encontra Marlon Brando, James Dean, Lauren Bacall, agora entram Matthew Broderick, Tom Cruise, Kelly Le Brock. Tom Cruise reluta em entrar nesse baú e pode até conseguir adiar um pouco, mas o mofo já está em seus joelhos.

Todo o reconhecimento que tivemos da publicidade até agora não foi despretensioso e de forma alguma foi o reconhecimento de uma década de talento e criatividade. Mas resultado de um cálculo simples de publicitários espertos: “esse pessoal da geração X está agora com 40-60 anos, ou seja, é a época que estão ganhando mais dinheiro e podem até ter reservas”.

Foi só interesse no seu dinheiro.

O comercial so Mitsubishi Lancer visava consumidores com mais de 40 anos

Se você não entendeu, pode ser um mau sinal. Pode ser que você tenha vivido a juventude nos anos oitenta, já tenha uma idade para ter conquistado a estabilidade financeira e profissional, mas não tenha efetivamente conquistado nada, como este que lhe escreve.

Com pesar eu afirmo, a partir de agora é ladeira abaixo.

Mas nem tudo é tristeza. Para quem trabalha com publicidade, fica o desafio: quais serão as referências nos próximos 10 anos? A tarefa é muito mais difícil! A produção industrial e cultural cresceu muito com a tecnologia de forma que vai ser difícil encontrar unanimidades como Indiana Jones, Star Wars, Abba, Santana Executive, Gol GTI, Escort XR3, Yamaha RD350, Chiclete Ping Pong, Kichute, camisetas Ocean Pacific, cobertores Parahyba, máquina de lavar Brastemp.

Essa sobrevida dos anos 80 pode ser até sinal disso mesmo, da dificuldade de se eleger unanimidades nas décadas seguintes.

 

 

Lívio Sakai

Sou como um carro não muito velho, mas com 500.000 km marcados no odômetro.