Por que a VICE insiste em repetir matérias do Jackass?

por Matheus Souza, artista e ilustrador

Se você acompanha a página da VICE no Facebook já deve ter percebido o quanto eles repetem postagens com conteúdos relacionados aos membros do Jackass, seja a entrevista com Steve-O, Johnny Knoxville, ou a clássica matéria: Ver o Bam Margera de hoje me faz ter medo da morte, nunca saberemos o real motivo de repetirem tanto o mesmo conteúdo, mas podemos deduzir que se eles publicam é porque pessoas tem o interesse em ler sobre o pessoal do Jackass.

E porque queremos ler sobre os insanos do Jackass? Bem, meu palpite seria pelo valor nostálgico e a curiosidade de saber como eles estão. E veja bem, para quem ignorou todos aqueles avisos de “Não tente reproduzir isso em casa” e cresceu assistindo Jackass, consegue lembra-se de que eram jovens e, assim como quem assistia, o tempo passou e a velhice chegou, para alguns mais evidente, enquanto que para outros parecem ter tomado formol.

A questão é de que se você cresceu assistindo Jackass, você provavelmente assistia desenhos animados quando criança, e adorava tudo isso. Estou falando daqueles cartoons clássicos, que uma bigorna cai sobre a personagem. As insanidades dos desenhos, como o próprio Knoxville disse em entrevista para a VICE, serve de inspiração para as performances da trupe.

Onde eu quero chegar com isso? Simples: se você assistiu esses desenhos e achava hilário, você teve potencial para ter achado hilário Jackass, dando vida aos feitos dos desenhos, e assim como acontece a nostalgia com esses cartoons, também surge uma estima pelos malucos “altamente profissionais”.

E por citar o termo "performance", sugiro uma provocação em imaginar a fronteira que separa uma ação do Jackass com uma ação performática do mundo da arte contemporânea. Em determinados momentos o modo como lidam com a dor podem lembrar algumas performances clássicas de artistas extremos, porém o que separa uma ação feita por Marina Abramovi? ou Johnny Knoxville? Bem, talvez no caso de Abramovi?, a própria intenção, a pesquisa e tudo que possa criar um caminho conceitual, enquanto que em Jackass é puro entretenimento para a TV ou cinema. Uma edição da extinta revista SET reportava a chegada da série como: “Tudo pelo entretenimento”, isso na TV por assinatura, o que nos possibilita imaginar uma situação onde o sadismo serve de entretenimento para a elite que possui meios de pagar por canais fechados.

Sendo assim, assistir essas personagens do Jackass envelhecer é mais um entretenimento, tanto quanto assistir eles em uma de suas façanhas, talvez por isso seja tão compartilhado e distribuído nas redes sociais.

Autor Convidado

Gostaria de ter seu texto publicado no Entrelinha Blog? Entre em contato com a gente!