Questões ambientais são pautadas na obra “Valle de Alicia”

A escultora e artista visual colombiana Alicia Barney, desde os anos 70, quando ainda era uma estudante, já buscava em suas criações artísticas refletir e, ao mesmo tempo, questionar situações diversas ligadas ao meio ambiente.

Considerada pioneira em abordar o assunto por meio das artes em seu país, Barney levou para a 32ª Bienal de São Paulo 2016,  a arte conceitual titulada “Valle de Alicia” (2016). A obra em questão vai além da estética e faz crítica ferrenha ao modelo de desenvolvimento capitalista e sua relação com o meio ambiente, levando-nos a uma reflexões mais profunda e além de provocar discussões a cerca disso. 

“Valle de Alicia” é uma arte que intervém na paisagem. Composta por cogumelos construídos a partir de resina e papel artesanal e tubos que funcionam como instrumentos, ao contato com o vento emitem sons, como se fossem as vozes da natureza. "Valle de Alicia" (2016). Cada detalhe, desde a sua estrutura, forma, altura variada, disposição, foram projetados e estudados minuciosamente, como pode ver nas imagens abaixo. 

Sketch "Valle de Alicia"( 2016), de Alicia Barney –  32ª Bienal de São Paulo Arquivo

Primeiros estudos de "Valle de Alicia" (2016) –  32ª Bienal de São Paulo

Tubos – Primeiros estudos de "Valle de Alicia" (2016) –  32ª Bienal de São Paulo

Cogumelos – "Valle de Alicia" (2016)

Para conhecer mais sobre a artista e outras obras, não deixe de conferir site (acesse aqui) e ver "Valle de Alicia" no Sesc Campinas (informações aqui).

 

Erica Ribeiro

Erica Ribeiro

Publicitária, blogueira, produtora e cineasta. É cofundadora do EntreLinha Blog, do Coletivo PAUSA e da websérie "Uma Pausa para o Café...", além de colunista do Design & Chimarrão.