Bienal Internacional de Cultura Psicodélica

 

Neste mês de outubro, entre os dias 16 a 18, foi realizado na cidade de Campinas, interior do Estado de São Paulo, um evento muito especial: a II Bienal Internacional de Cultura Psicodélica.

Os aficionados por arte, como nós do EntreLinha Blog, puderam viver uma experiência única, um encontro com o despertar místico, transcendental da consciência e ainda ampliar seus conhecimentos em relação à Arte Visionária e Psicodélica, ainda pouca difundida no Brasil.

A Arte Visionária pode ser entendida, de forma bem sucinta, como um “fazer artístico” resultante de uma experiência de expansão da consciência – o Estado Não Ordinário de Consciência (ENOC) – do indivíduo. Ela está presente não apenas nas artes plásticas, mas em toda a forma de expressão artística (clique aqui para saber mais).

Nas rodas de discussões, que ocorreram no evento, mencionaram um pouco mais afundo sobre a temática em questão, no qual os convidados como a artista plástica Thaisa Pfaff, o artista plástico e professor da Unicamp E.G Boccara e o grande estudioso no assunto, professor e artista plástico, José Eliézer Mikosz, mais conhecido como Antar, entre outros, deram um show ao abordarem o assunto.

WP_20151018_16_10_38_Pro

WP_20151018_16_10_52_Pro

Além de sair mais ricos de conhecimento, o público também pode apreciar pinturas incríveis, apresentações musicais, performance, projeções e audiovisuais. Um evento simplesmente sensacional, promovido pelo Rodrigo Nini, Camila Lagoeiro e toda uma equipe especial que também fomentam a cultura e a arte.

Uma oportunidade impar para de degustar e devorar a arte. Já estamos aguardando ansiosos a III Bienal Bienal Internacional de Cultura Psicodélica. Ficou com gostinho de quero mais. E que venham outros eventos sobre a Arte Psicodélia e Visionária. Parabéns a todos que fizeram o encontro acontecer, foi incrível. 

Erica Ribeiro

Erica Ribeiro

Comunicóloga, escritora, cineasta e também jardineira. É cofundadora do Coletivo Pausa, cofundadora/editora-chefe do EntreLinha, uma cinéfila incorrigível, amante das artes e da literatura.