Filme de Godard é homenageado em poster do Cannes 2016

 

O 69º Festival de Cannes, evento que ocorre entre 11 a 22 de maio, homenageia um dos clássicos do cinema, o filme “Le Mépris” (O Desprezo), de 1963, dirigido pelo francês Jean-Luc Godard, mestre e um dos precursores da Nouvelle Vague – movimento que despontou no final da década de 50, na França.

“O Desprezo” é um filme metalinguístico. Um drama que narra à história de Paul Javel, um roteirista, interpretado pelo ator Michel Piccoli, contratado pelo produtor americano Jeremy Prokosch (Jack Palance) para adaptar a obra “A Odisséia”, de Homero, que será dirigido pelo cineasta alemão Fritz Lang, vivido pelo próprio diretor. Camille (Brigitte Bardot), sua esposa, começa a desconfiar que o marido tenha a vendido ao produtor para conseguir o trabalho como roteirista do filme. Esso a leva desprezá-lo cada vez mais e, com isso, vai desestruturando a relação do casal. 

O poster do Festival traz a curiosa imagem extraída de uma cena do filme, que mostra o personagem Paul Javel (Michel Piccoli) subindo uma escadaria da espetacular Casa Malaparte, projeto do arquiteto Adalberto Libera, no meio do Mediterrâneo, que simboliza “a ascensão de um homem em direção ao seu sonho”, de acordo o enredo da obra. Uma escolha simbólica, de um dos filmes mais importantes que marcou a história do cinema.

Assinada pelos designers Hervé Chigioni e Gilles Frappier, o conceito desenvolvido para a peça ganha mais força, expressividade e impacto com a predominância da cor amarela, simbolizando a inovação, sentimento de realização, ousadia e criatividade.

O Festival de Cannes, que nos anos anteriores homenageou os atores, como, Ingrid Bergman, Marcello Mastroianni, Paul Newman, entre outros, nesta edição é a vez de Michel Piccolli abrirá o tapete vermelho.

Acompanhe outras novidades, aqui no EntreLinha, dessa grande vitrine da cinematográfica mundial. 

Erica Ribeiro

Erica Ribeiro

Comunicóloga, escritora, cineasta e também jardineira. É cofundadora do Coletivo Pausa, cofundadora/editora-chefe do EntreLinha, uma cinéfila incorrigível, amante das artes e da literatura.